DIREITO DE SEGUROS

Este blog tem como principal objetivo transmitir informações relacionadas ao Direito de Seguros, em especial quanto ao posicionamento do Poder Judiciário. Entretanto, poderá também oferecer outras matérias relevantes e interessantes.

Serve também como canal de comunicação entre o nosso escritório e todos aqueles que tenham interesse nessa importante matéria cada vez mais integrada ao dia a dia.

Agradecemos por comentários, sugestões, opiniões que solicitamos sejam enviados diretamente para direitodeseguros@gmail.com

O escritório dedica-se ao Direito de Seguros desde 1992, patrocinando causas de Segurados e também de Corretores de Seguros na busca de seus interesses e na defesa de seus direitos.

Rua 15 de Novembro, 534 - sala 95
Fone: (47) 3326-2659
89010-000
Blumenau-SC


quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Garantindo a Cobertura: Seguradoras x Enchentes

O segurado deve ficar atento, no entanto, ao seu comportamento durante a cheia. Ele deve consultar a seguradora e evitar colocar o carro em risco.

Para não perder o seguro, motorista deve seguir orientação da empresa durante uma enchete

"Para os motoristas com carros segurados é importante se orientar com a seguradora antes de tomar qualquer iniciativa. É aconselhável dispensar os serviços de guinchos particulares, pois as seguradoras passaram a cobrir esse tipo sinistro", orienta a Proteste.

De acordo com a entidade, cabe à seguradora orientar sobre as providências que devem ser tomadas. Por exemplo, se o veículo puder ser ligado, o motorista será informado para onde deverá levá-lo. Caso contrário, a seguradora enviará um guincho credenciado para resgatá-lo.

Feito o resgate, o veículo será levado a uma oficina credenciada para vistoria e apuração dos danos. Se os prejuízos somarem mais de 75% do valor do veículo, geralmente as seguradoras dão perda total.

Se a seguradora optar por consertar o veículo, é importante que o consumidor exija o orçamento com a relação de todos os itens que serão trocados, assim como o prazo de devolução do carro, conforme o artigo 40 do Código de Defesa do Consumidor.

Se a reclamação com a empresa não funcionar, o segurado deve procurar os órgãos de defesa do consumidor ou a Justiça.

A Proteste alerta ainda que, como em qualquer sinistro, o segurado terá de arcar com o valor da franquia também em caso de enchente. No entanto, se o veículo precisar retornar à oficina em razão de novos defeitos, ele não deve pagá-la novamente.

Fonte: www.correioforense.com.br