DIREITO DE SEGUROS

Este blog tem como principal objetivo transmitir informações relacionadas ao Direito de Seguros, em especial quanto ao posicionamento do Poder Judiciário. Entretanto, poderá também oferecer outras matérias relevantes e interessantes.

Serve também como canal de comunicação entre o nosso escritório e todos aqueles que tenham interesse nessa importante matéria cada vez mais integrada ao dia a dia.

Agradecemos por comentários, sugestões, opiniões que solicitamos sejam enviados diretamente para direitodeseguros@gmail.com

O escritório dedica-se ao Direito de Seguros desde 1992, patrocinando causas de Segurados e também de Corretores de Seguros na busca de seus interesses e na defesa de seus direitos.

Rua 15 de Novembro, 534 - sala 95
Fone: (47) 3326-2659
89010-000
Blumenau-SC


terça-feira, 11 de junho de 2013

Escritórios acionam mais seguradoras por incidentes

Por Marcos de Vasconcellos

O mercado agitado da advocacia, com o surgimento de novas bancas e a profusão de negócios no Brasil, traz consigo uma preocupação: o aumento do acionamento de seguradoras por conta de incidentes nos escritórios. O seguro de responsabilidade civil para advogados tem sido mais acionado, principalmente nos últimos dois anos, muito por conta do aumento de sociedades, mas também pela exigência de clientes que só contratam advogados com apólices, analisa Fernando Coelho dos Santos, que comanda a corretora Coelho dos Santos.
O aumento da demanda dos escritórios pelo serviço já está refletindo no mercado de seguros. A Tokio Marine, que fazia seguros para sociedades de advogados, não está mais aceitando novos clientes. Os gastos da seguradora com a carteira chegaram a níveis preocupantes, então eles pararam de renovar as apólices de seus clientes e de aceitar novas bancas como seguradas. Os sócios de um grande escritório empresarial ouvidos pela ConJur acabaram de mudar de seguradora por isso. Felizmente, ainda são cerca de dez as empresas que cobrem os sinistros dos advogados, sendo que "as que entendem mesmo do mercado devem ser umas cinco", segundo a contagem de Coelho dos Santos.
Em nota enviada à coluna, a Tokio Marine justificou que "a decisão de descontinuidade do Seguro RC Profissional faz parte da estratégia de negócios e está baseada em um conceito de segmentação de produto para atender cada vez melhor seus corretores, assessorias e clientes. Esta decisão não é exclusiva para a modalidade de advogados, mas considera toda a carteira nas suas diversas modalidades profissionais". Segundo a companhia, todas as negociações relativas à carteira foram feitas em conjunto com seus corretores parceiros, com antecedência necessária, para que os impactos fossem minimizados.
Fonte: http://www.conjur.com.br