DIREITO DE SEGUROS

Este blog tem como principal objetivo transmitir informações relacionadas ao Direito de Seguros, em especial quanto ao posicionamento do Poder Judiciário. Entretanto, poderá também oferecer outras matérias relevantes e interessantes.

Serve também como canal de comunicação entre o nosso escritório e todos aqueles que tenham interesse nessa importante matéria cada vez mais integrada ao dia a dia.

Agradecemos por comentários, sugestões, opiniões que solicitamos sejam enviados diretamente para direitodeseguros@gmail.com

O escritório dedica-se ao Direito de Seguros desde 1992, patrocinando causas de Segurados e também de Corretores de Seguros na busca de seus interesses e na defesa de seus direitos.

Rua 15 de Novembro, 534 - sala 95
Fone: (47) 3326-2659
89010-000
Blumenau-SC


quinta-feira, 18 de julho de 2013

Dono de carro queimado na Berrini tentou aplicar golpe, diz polícia


A Polícia Civil de São Paulo concluiu o inquérito sobre o caso de um analista financeiro que alegou ter sido queimado durante um assalto em junho deste ano. De acordo com a Polícia Civil, as investigações apontaram que Marcelo Gonçalves da Silva, 41, na verdade, tentou aplicar um golpe em uma seguradora de carro.
Na ocasião, o analista financeiro, afirmou ter sido vítima de um sequestro-relâmpago quando estacionava seu carro, uma Pajero TR4 prata, em uma rua paralela à avenida Luis Carlos Berrini, na zona sul da Capital.
Segundo depoimento à polícia na época, Marcelo disse que os ladrões ficaram irritados porque ele tinha apenas R$ 100. Na versão dele, o criminoso acendeu o isqueiro e o queimou. Disse ainda que só sobreviveu porque abriu a porta e pulou do veículo, no cruzamento da avenida Doutor Chucri Zaidan com a com a ponte do Morumbi.
Segundo o analista, ele correu para o outro lado da via e pediu ajuda a um taxista que passava pelo local, que o levou para o hospital São Luiz, no Morumbi (zona oeste) onde ele ficou internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).
Homem é queimado em SP após dizer a assaltantes que tinha apenas R$ 100
O veículo foi encontrado em chamas em uma rua próxima a uma favela na zona sul da cidade. Policiais do DAS (Divisão Anti-Sequestro) e do DHPP (Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa), no entanto, encontraram evidências que contrariaram a versão do analista.
A principal delas foi uma camiseta preta parcialmente queimada encontrada em um local próximo onde o veículo em chamas foi deixado. A roupa, segundo os policiais apuraram, era do próprio analista.
Os investigadores também descobriram que no mesmo dia do suposto assalto, 7 de junho, Marcelo havia levado o seu veículo até uma loja de som automotivo para retirar todo o equipamento multimídia que possuía.
Diante das evidências do chamado "golpe do seguro", o analista admitiu às autoridades que ele mesmo havia ateado fogo no carro. Em prantos, disse que tentara cometer um suicídio, mas que saiu do carro assim que o fogo começou a se alastrar. O analista chegou a ficar internado por conta dos ferimentos.
Marcelo foi indiciado por estelionato por fraude para recebimento de indenização ou valor de seguro e o caso será remetido à Justiça.